DESAFIOS CRUCIAIS NO PROCESSO SELETIVO

Artigos

DESAFIOS NO PROCESSO SELETIVO EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

Em momentos como estamos vivendo de instabilidade econômica e crise mundial, contratar profissionais (independente do vínculo empregatício) é uma decisão importante e estratégica para empresas.

Esse cenário torna-se ainda mais delicado quando colocamos luz em pequenas e médias empresas. Devido a isso, é mandatório que você se prepare para esse momento.

Vejo muitos empresários procrastinar o processo seletivo e muitas vezes o delegar para a última prioridade em sua rotina. Esse é um erro que pode te custar caro.

Contratar profissionais errados, tem um custo financeiro que pode ser facilmente mensurado, como também como as horas investidas no processo. Mas tem alguns fatores que dificilmente nos damos conta e quando o fazemos, podemos nos deparar com consequências bem sérias.

Você empresário já se perguntou o que um profissional errado pode falar ou fazer com o seu principal cliente? Qual a imagem que ele passará para um cliente em potencial? Que tipo de informação ele soltará nas redes sociais quando se fala de sua marca empregadora?

Essas são algumas perguntas que você precisa se atentar para não complicar ainda mais o processo. Mas, calma!!! Existem alternativas para te ajudar. Vamos conhece-las?

 

  1. Qual a sua real necessidade

Eu acredito que você tenha um planejamento para o negócio, mesmo que mínimo. Para o processo seletivo precisamos seguir a mesma linha de ação.

É necessário se fazer perguntas como:

  • Qual o objetivo do meu negócio?
  • Se você melhorar o processo interno da empresa, será necessário contratar um novo profissional?
  • Com a contratação de um novo profissional quanto você conseguirá melhorar o processo e aumentar o meu faturamento?
  • Quais são os desafios que serão superados com a contratação de um novo profissional?

Essas são algumas perguntas para que você reflita antes de investir tempo, energia e dinheiro em um novo processo seletivo e não ter o retorno necessário.

 

  1. Qual o perfil ideal para contratar

Esse passo é um dos mais importantes, pois é a partir dele que você dará o tom para a sua empresa.

Da mesma forma que você precisa definir a persona do seu cliente final, aqui é mandatório que você defina a persona do seu cliente interno, o “candidato”.

Muitos empresários buscam um perfil “super-homem”, onde o candidato precisa ser bom em tudo. Isso é utopia, pois não existe candidato(a) perfeito(a).

Outros, acreditam que se o candidato for uma “cópia” sua o problema estará resolvido. Isso com certeza é um grande erro. Se o profissional tiver o mesmo posicionamento frente aos problemas que você, problemas que você tem dificuldade em resolver ele também terá, certo?

Nesse momento é necessário pensar com complementariedade, diversidade e principalmente, levar em consideração  o que realmente é necessário ter para atender a demanda dos seus clientes e principalmente ter vantagem competitiva para se manter bem e com energia para buscar novas estratégias e assim, se manter na frente.

Nesse contexto, você precisará ter claro:

  • Qual o conhecimento técnico e escolaridade que o profissional precisa ter? Aqui cabe se perguntar se ela é realmente importante para a sua necessidade ou se é possível treinar. Você já ouviu falar:

Contratei pelo currículo e demiti pelo comportamento!

É exatamente aqui que  está o problema, visto que o papel aceita tudo e experiência anterior, bem como cursos, talvez não sejam a solução para os seus problemas. Pense nisso!!

 

  • Qual a experiência anterior necessária?
  • Quais são os desafios que o profissional terá em seu dia a dia?
  • Quais competências comportamentais mandatórias para que consiga atender as necessidade de seu negócio?
  • Qual a melhor geração para atender as expectativas do seu cliente?

Esse é o momento de você quebrar conceitos e paradigmas e olhar para o seu negócio com estratégia e não com síndrome de Gabriela

Eu aprendi assim, sempre fiz assim e morrerei fazendo assim.

 

  1. Onde e como divulgar as vagas

Uma vez definido o item anterior, chegou a hora de identificar onde é a melhor fonte de divulgação de sua vaga.

Qual é o publico que você precisa contratar? De acordo com a sua resposta você traça o caminho mais adequado. Hoje existem vários sites gratuitos que podem te ajudar nessa jornada, porém, não se engane, ira requirir de você muito esforço e trabalho nessa etapa do processo.

Exemplos de locais:

– Redes Sociais:  Instagram, Facebook e LinkedIn estão super em alta. Nesses locais a sua divulgação  precisa ser mais despojada e clean. Aquele perfil que você tem a anos guardado não chamará atenção das pessoas que estão em busca de recolocação profissional aqui.

Sites gratuitos: Catho, Indeed, Infojobs, são alguns dos que você poderá utilizar para divulgar suas vagas.

Instituições de ensino:  é uma fonte bem interessante dependendo da forma com que você se coloca como marca empregadora.

Indicações internas: essa com certeza é a forma que mais credibilidade oferece para a sua empresa, pois o seu colaborador foi o seu primeiro e principal vendedor. 

Indicações de conhecidos: também é um canal bastante utilizado, porém, é necessário que você deixe claro quais são as suas expectativas para não se comprometer e gerar situações desagradáveis no futuro.

 

  1. Recebi currículos e agora?

Chegou a hora de você fazer um filtro e separar aqueles currículos que num primeiro momento atende a sua necessidade.

Você poderá receber muitos currículos, principalmente agora, onde o índice de desemprego está bem alto. Porém, não se engane, apesar dessa realidade, os candidatos estão bem seletivos na hora de te escolher como empresa contratante.

Sabe aquela frase que diz que a primeira impressão é a que fica? Aqui ela faz muito sentido, pois dependendo da forma como você abordar o candidato ele provavelmente não comparecerá na entrevista e pior ainda, falará mal da sua empresa.

Você não está fazendo um favor para o profissional, lembre-se você está pagando por um serviço, assim, ambos podem escolher. OK!

 

  1. E a hora da entrevista!

Você já pensou que repetimos comportamentos?

Provavelmente quando estava em busca de entrevista, por quantas situações você passou e afirmou que faria diferente se estivesse na outra cadeira? Hoje você está. Mas, você faz diferente ou repete os mesmos comportamentos?

Vejo muitos empresários deixando candidatos esperarem por horas pois acredita que assim conseguirá perceber se ele é resistente a frustração e pressão.

Desculpe, esse tipo de comportamento só demonstra a falta de respeito que você tem por ele.

Ser grosseiro e colocar literalmente o candidato na parede não vai te mostrar como realmente ele é, e sim, o que ele treinou para te convencer que ele é o melhor candidato.

São através dessas estratégias errôneas que após o terceiro mês você pode se encontrar dizendo:

Só foi passar o período de experiência para que ele começasse a me dar problemas e se mostrar da forma que realmente é.

 

Então, o que fazer?

  • Pratique empatia. Trate os candidatos como gostaria de ser tratado. Se organize para atende-lo e dedique toda atenção que o seu cliente merece. O coloque no centro do seu processo.
  • Deixe o candidato falar. Agora é o momento de conhece-lo. Você não precisa vender a sua empresa, acredite ele já fez a lição de casa e possivelmente ele sabe mais da sua empresa que muitos dos que trabalham contigo.
  • Deixe o clima agradável: Ele se sentirá mais confortável e se mostrará da forma que realmente é.
  • Faça perguntas abertas: Direcione as suas perguntas para o passado, onde ele possa expressar o que já fez. Perguntas como, o que você faria se…. o que você pensa de…. dá margem para que o candidato responda o que ela acha que você quer escutar e não o que ele realmente faria ou já fez.

 

Exemplos de perguntas poderosas:

  • Quais foram as suas maiores conquistas?
  • Como você lidou com fracasso e como o superou?
  • Conte um projeto que você teve que lidar por um longo tempo e como se manteve motivado.
  • Como como se vê no futuro e o que está fazendo para chegar lá?

 

  1. Como escolher o melhor candidato?

Agora chegou o momento de você compilar todas as informações  e escolher o profissional que melhor atende as suas necessidades.

Mas, eu acredito que você estar se perguntando nesse momento:

– Ótimo, falando assim parece fácil, mas por onde eu começo?

Se você não tiver tempo para se dedicar, estudar e dar atenção a esse processo, então te indico contratar um parceiro que possa te ajudar a passar por todas essas etapas de forma rápida e assertiva, enquanto você direciona a sua energia e conhecimento para estruturar o que você faz de melhor, o seu negócio.

Como já vimos no começo desse texto, você tem muito mais a perder do que ganhar em fazer um processo sem estrutura, sem conhecimento e ter em seu time profissionais que irão depor contra a imagem que você construiu com muito suor.

Lembre-se, é a imagem da sua empresa e, portanto, a sua que está em jogo e esse é o momento de você mudar a sua rota de forma assertiva e eficaz.

Nós da APPRIMORE estamos aqui para te ajudar nesse processo. Conte conosco.